Sistema Eletrônico de Administração de Conferências ANCIB, XXII ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

Tamanho da fonte: 
CODINOME REALIDADE: DIALÉTICAS DA FÁBRICA DE MUNDOS DO NOME PRÓPRIO
Diogo Xavier da Mata, Gustavo Silva Saldanha, Naira Christofoletti Silveira

Última alteração: 2022-11-26

Resumo


O estudo parte da noção de Biobibliografia, seus usos e funções sócio-políticas, enquanto dispositivo que constrói um repertório de nomes próprios de pessoas, e que os descrevem e os classificam com base na biografia e nas obras de alguém. No campo da Organização do Conhecimento e dos Saberes (OCS) o nome próprio, principalmente do autor, é, historicamente, utilizado na confecção de instrumentos de recuperação da informação. Desde os catálogos das bibliotecas até os dicionários biográficos. Com base em uma relação metafórica, assumindo parte da cidade como uma biobibliografia, como um dicionário biográfico, onde há uma relação de nomes atuantes na delimitação e organização dos espaços, problematiza-se a ideia da significação dos nomes próprios de pessoas e da comunicação de enunciados através deles. Para isso, recorre-se a algumas proposições teóricas da Filosofia da Linguagem recente, como o pensamento de Gottlob Frege e Ludwig Wittgenstein acerca do nome próprio. O objetivo é propor o “maquinário” da Organização do Conhecimento e dos Saberes para a fabricação alegórica de uma possível geografia política dos espaços de uma cidade-biobibliográfica. Os procedimentos metodológicos perpassam a pesquisa teórica bibliográfica e a observação empírica não sistematizada dos nomes próprios de pessoas que constroem os espaços citadinos. Como resultado, argumentamos favoravelmente à tomada biobibliográfica-crítica dos nomes que compõem a realidade geográfico-política das cidades. Além disso, se entrelaçam algumas considerações acerca da comunicação de enunciados através de uma biobibliografia que seleciona nomes e vidas, fabricando representações e mundos para e pelas cidadãs e cidadãos, de forma não transparente.


Palavras-chave


Biobibliografia; Nomes Próprios de Pessoas; Organização do Conhecimento e dos Saberes; Filosofia da Linguagem para Nomes Próprios.

Texto completo: PDF