Sistema Eletrônico de Administração de Conferências ANCIB, XXI Encontro Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação

Tamanho da fonte: 
MAPEAMENTO ARQUIVÍSTICO: UMA PROPOSTA TERMINOLÓGICA PARA DIAGNÓSTICO DE ARQUIVO
Maria Fabiana Izidio de Almeida, Marcia Cristina de Carvalho Pazin Vitoriano

Última alteração: 2021-11-29

Resumo


A prática empírica pode refletir em uma ciência de modo não favorável, pois baseia-se unicamente em vivências e não se pauta em conhecimento científico. Essa prática empírica reflete na comunicação entre os profissionais, pois não utiliza a terminologia específica e adequada. Outra vertente que também interfere na comunicação dos profissionais de determinada área é a carência de terminologia e a sua não padronização, uma vez que obstruem o desenvolvimento da ciência, assim como dificulta as pesquisas cientificas em torno de determinado assunto. No que concerne a definição de diagnóstico de arquivo, considera-se a definição apresentada nos dicionários que versam sobre a terminologia arquivística um tanto quanto simplista e abrangente. Outro ponto é a pluralidade de termos designados para o fenômeno diagnóstico de arquivo. Diante disso, coloca-se como questão problema desta pesquisa: quais os benefícios da padronização e ampliação da definição de diagnóstico de arquivo pode acarretar à Arquivologia? Propor um termo para padronizar e ampliar a definição para diagnóstico de arquivo é o objetivo geral desta pesquisa. Para atender o problema proposto e alcançar o objetivo geral apresentado, esta pesquisa caracteriza-se como qualitativa, do tipo descritiva, sendo a base principal o levantamento bibliográfico e documental. Como principal resultado identificou-se as variáveis que refletem na composição do arquivo, apresentou-se o termo Mapeamento arquivístico como proposta terminológica para diagnóstico de arquivo, bem como uma definição que segue explanada no texto.


Texto completo: PDF